Cartas sem destino

.posts recentes

. Há coisas que não têm de ...

. Deitar fora o passado

. Sinais do Destino

. Não há coincidências ...

. Feliz no passado ...

. Escutar a voz do coração....

. Breve resumo

. Simplesmente Amor ...

. Braços amigos

. Dor do próximo ...

.arquivos

. Março 2009

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

Quinta-feira, 19 de Junho de 2008

Descobrindo a Pilar...

 

 

 Metade de mim é AMOR...

 

(Foto retirada da net)

 

Pilar respirou fundo, levantou-se do sofá e dirigiu-se á janela, percebi que chorava.

Ela que se fazia de forte em todas as circunstâncias... agora com estas emoções descritas em simples cartas, via a minha amiga a enfraquecer, a deitar por terra fortalezas que ela construiu ao longo dos tempos.

A saudade da familia, quando estamos distantes, consegue ser perturbadora.

Sempre foi muito agarrada á Mãe, desde que começamos a estudar longe de casa, várias vezes a surpreendi a chorar, de saudades, eu também as tinha, mas evitava lembrar-me, ocupava-me com as minhas actividades, com a minha profissão, o resto guardava para mim, e para o meu travesseiro, que era um bom conselheiro, assim como Pilar, que tinha sempre a resposta e a solução certa para tudo.

Sempre a admirei, e agora que vivíamos juntas e partilhávamos a nossa vida e a nossa profissão, ainda admirava mais.

Não me imaginava a passar por tudo isto sem ela, era a minha força, o meu pilar!

 

publicado por Raquel às 03:30
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
21
22
23
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds